Exercitando a Respiração Consciente

    Habitualmente não estamos conscientes das milhares de vezes que respiramos por dia. A respiração é uma função básica para os seres humanos e baseia grande parte dos exercícios da psicologia transpessoal. Vale ressaltar que as tradições antigas orientais já salientavam a importância da respiração consciente muito antes da ciência comprovar seus benefícios, enfatizando a respiração como alimento não só do corpo, mas também do espírito. Essa nutrição se daria através do prana, energia vital presente em tudo que está vivo, que absorvemos quando inspiramos.

    Porém, tendemos a perder a consciência da nossa respiração, se deixando levar pelos automatismos e, consequentemente, superficilizamos nossa respiração, assim como nosso trabalho, nossas relações, nosso tempo. Perdemos o hábito que quando bebês fazíamos: a respiração diafragmática. Quando nascemos, respiramos a partir da movimentação do diafragma (um músculo localizado entre o tórax e o abdômen), uma vez que se trata de uma função natural e involuntária.

  As pesquisas sobre respiração diafragramática para a redução do estresse apresentaram resultados promissores como, por exemplo: elevação da consciência corporal, estabilização do sistema nervoso, do sistema nervoso automático, aumento da variabilidade da frequência cardíaca, redução da pressão arterial, aumento para controle da imunidade, melhoras na qualidade do sono e na digestão (DIXHOORN & RAKEL, 2007 apud NEVES, 2011).

    Se conectar com o corpo através da respiração consciente é uma opção gratuita e acessível no momento que quisermos, capaz de nos acalmarmos de forma rápida e eficaz, restaurando nosso equilíbrio. Reaprender a respirar de forma correta é apenas questão de hábito. Vamos exercitar um pouco?

  1. Sente-se confortavelmente com a coluna ereta ou deite-se;
  2. Coloque uma mão sobre o abdômen, entre o umbigo e o esterno, para sentir a movimentação abdominal durante a respiração. Tente evitar ao máximo a movimentação do tórax e dos ombros;
  3. Inspire pelo nariz por quatro segundos, sentindo o ar encher os pulmões e o abdômen subir;
  4. Segure o ar por dois segundos;
  5. Expire pela boca, esvaziando os pulmões e a barriga por 6 segundos;
  6. Repita o processo quantas vezes sentir necessidade.

    Inevitavelmente a mente pode vaguear. Não se julgue nem julgue a sua mente quando isso acontecer. Ao invés, trate-se com respeito e compreensão, continuando a manter sua atenção voltada à respiração. Simplesmente permita-se focar a atenção nas sensações da respiração e, quando ela fugir, traga-a de volta amorosamente. Quando terminar, veja se pode levar a claridade e calma para as suas atividades e relações.


Referências:

FERREIRA, A.; BRANDÃO, E.; MENEZES, S. Psicologia e Psicoterapia Transpessoal – Caminhos de Transformação.

NEVES NETO, A. R. Técnicas de respiração para a redução do stress em terapia cognitiva-comportamental. Arquivo Médico Hospitalar Faculdade Ciências Médicas Santa Casa, São Paulo, 2011. Disponível em: http://www.fcmscsp.edu.br/files/AR09.pdf.

 

 

Escrito por

Psicóloga graduada pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Formada em Psicologia Clínica na abordagem Transpessoal pela ANPPT e Psicóloga do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) Ponta Negra de Natal-RN.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s