[#SETEMBROAMARELO] Para cuidar de alguém que pensa em suicídio

Alguém que você ama, cuida, que já te fez rir, se emocionar… Essa pessoa em algum momento percebe que não sente mais vontade de viver. Você pode negar, se questionar se fez algo errado, sentir raiva, não acreditar – não se sinta culpado se você se sente ou já se sentiu assim. Mas, se você pode e quer ajudar, você vai precisar considerar algumas coisas que eu espero poder introduzir neste artigo.

Sabendo que todos os casos são únicos, e que nenhuma orientação à distância vai substituir o acompanhamento psicológico e médico, podemos falar em algumas orientações gerais, que podem ajudar de forma inicial nesse cuidado.

1)Perceba se você pode/consegue lidar.

Você pode/consegue estar próxima(o), evitando julgamentos e reações exageradamente emocionais sobre a ideação suicida? Dificilmente você estará livre de qualquer medo ou sentimentos de aversão, raiva, negação ou até cansaço sobre isso, mas expressar esses sentimentos de forma muito enfática não é o melhor para quem está neste momento precisando de cuidados. Não se sinta culpada(o) se você já brigou ou fui duro com ele(a) – esse era o melhor que você podia fazer. Importa que, daqui por diante, você tente perceber quais são seus limites.

2) Busque informação.

O suicídio acontece com diferentes pessoas, de várias formas, por diversas razões. Entender que se trata de um tema de saúde, e que você tem meios para buscar ajuda numa possível crise da pessoa querida junto a uma emergência psiquiátrica, a SAMU ou o corpo de bombeiros, por exemplo, pode ser de valiosa ajuda. No fim desse texto estão alguns links para maiores informações sobre o suicídio.

3) Busque ajuda para você.

Você não precisa passar por isso sozinho, e os psicólogos e psiquiatras costumam ser as pessoas mais capacitadas para saber o que fazer em situações como essa, e podem tanto te orientar sobre o que fazer para prevenir o suicídio da pessoa querida, como cuidar do sofrimento que isso pode te gerar.

4) Ofereça seu suporte.

Já sabendo quais são seus limites, se você acredita que é capaz de lidar com a pessoa com ideação suicida, apenas estar junto pode ser sua maior contribuição. Ofereça-se para uma conversa a sós, sem pressa nem hora para terminar, em um lugar tranquilo e seguro, onde você possa demonstrar seu interesse verdadeiro em saber como essa pessoa está. Busque ser compreensivo e diga-lhe que está disponível para se, em algum momento, a pessoa quiser ser ouvida, se ela precisar de alguém por perto quando as coisas estiverem difíceis ou se precisar de auxílio para buscar ajuda profissional, por exemplo.

5) Oriente/incentive a pessoa para que busque auxílio profissional.

Certamente é de grande importância, para quem pensa em suicídio, ter os cuidados de pessoas próximas, que a amam. Mesmo assim, a ideação suicida é uma questão de saúde, e certos cuidados somente os profissionais podem oferecer. Os psicólogos contribuem com uma escuta qualificada, treinada para lidar com casos como estes; já os médicos psiquiatras podem prescrever uma medicação adequada em cada caso, que vai atuar no cérebro da pessoa, buscando um equilíbrio dessa porção do corpo, que vai se refletir em comportamentos mais saudáveis.

6) Entenda que toda ajuda e cuidado tem um limite.

Não se culpe se for difícil, se você não achar que é a melhor pessoa para ajudar. Sua ajuda pode ser identificar outras figuras de cuidado para a pessoa, entre os familiares e amigos, sem se esquecer do médico psiquiatra e psicólogo. Também não se maltrate se, mesmo dando seu melhor, não existe sinal de que a pessoa desistiu da ideia de suicídio ou mesmo se não foi possível evitá-lo. O suicídio é uma questão complexa, e mesmo que seja possível prevenir, nem sempre é possível evitar que ele se efetive. A prevenção do suicídio deve passar por todos os setores da sociedade: saúde, educação, trabalho, segurança, política, mídia… É necessário que todos se conscientizem da importância de cuidar da saúde mental, de si e dos outros. Mesmo, assim, toda tentativa, dentro do possível, é válida.


Recomendações de leituras:

Falando abertamente sobre suicídio

https://www.cvv.org.br/wp-content/uploads/2017/05/falando_abertamente_sobre_suicidio.pdf

Prevenção do suicídio: sinais para saber e agir:

http://portalms.saude.gov.br/saude-de-a-z/suicidio

O que posso fazer para ajudar quem pensa em suicídio?

https://www.cvv.org.br/blog/o-que-posso-fazer-para-ajudar-quem-pensa-em-suicidio/

Como cuidar de alguém que está sofrendo com pensamentos suicídas:

https://danjosua.blogosfera.uol.com.br/2018/02/01/como-cuidar-de-alguem-que-esta-sofrendo-com-pensamentos-suicidas/

Como apoiar um amigo que tentou suicídio:

https://pt.wikihow.com/Apoiar-um-Amigo-que-Tentou-Cometer-Suic%C3%ADdio

 


Referências bibliográficas

https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=5671:folha-informativa-suicidio&Itemid=839

http://www.who.int/mental_health/media/counsellors_portuguese.pdf

http://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/131056/9789241564878_eng.pdf;jsessionid=CA8D48408787FF71168A427839135707?sequence=8

https://www.cvv.org.br/wp-content/uploads/2017/05/suicidio_informado_para_prevenir_abp_2014.pdf

https://site.cfp.org.br/wp-content/uploads/2013/12/Suicidio-FINAL-revisao61.pdf

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s